Inicial

O escritório Neme & Romero de Lima Advogados Associados foi fundado com o objetivo de entregar um serviço especializado e de qualidade aos clientes, visando sempre a atingir o melhor resultado.

Formado por profissionais de larga experiência no mercado, o escritório prima pela qualidade e pessoalidade no atendimento, apresentando respostas rápidas e precisas dentro da estratégia estipulada.

O escritório Neme & Romero de Lima Advogados Associados possui uma estrutura enxuta e altamente especializada, distanciando-se do modelo “advocacia de massa”, buscando a pessoalização no atendimento e trabalhando sempre com base na ampla visão dos negócios do cliente, confiança e relações estreitas.

  • Visão: tornar-se referência no desenvolvimento de estratégias de Direito Tributário no Brasil.
  • Missão: desenvolver teses inovadoras de Direito Tributário, entabular negociações visando ao equilíbrio fiscal de empresas, viabilizando a manutenção das atividades empresariais e implementar estratégias preventivas para a sua organização fiscal.
  • Valores: transparência, satisfação do cliente, eficiência, criatividade, conhecimento técnico, responsabilidade social.

Os sócios

Fabiano Neme
Advogado desde 2003, pós-graduado em Direito Processual Civil pela Academia Brasileira de Direito Processual Civil, publicou em 2007 o artigo Métodos Coercitivos e Prestação Jurisdicional na obra Temas Atuais do Processo Civil (ABDPC, RS, 2007), vem atuando exclusivamente na área tributária desde 2007, conquistando resultados relevantes para empresas de médio e grande porte.

Leonardo Romero de Lima
Advogado desde 1999, pós-graduado em Direito Penal Econômico pela Fundação Verbo Jurídico, MBA em Direito Tributário pela Fundação Getúlio Vargas, publicou em 2014 a obra A Tributação Sobre Precatórios, através da Editora Verbo Jurídico, e, em 2015, junto à Revista Jurídica Jul/2015 da Editora Síntese, o artigo Dos Crimes Contra a Ordem Tributária nas Operações com Precatórios. Atua exclusivamente na área tributária, buscando desafios de alto nível, em especial no desenvolvimento da ADI nº 4854, que tramita junto ao STF, para afastar as sanções impostas pelo Regime Especial de Fiscalização.